Grupo incentiva contaminação com vírus HIV

Segundo estudo realizado pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV e Aids (Unaids), hoje existem mais de 35 milhões de pessoas infectadas por HIV em todo o mundo. O relatório afirma que desde que a epidemia começou, nos anos 1980, já matou mais de 39 milhões de pessoas. No Brasil, a estimativa é de que 530 mil pessoas vivam com Aids e, dessas, 135 mil não sabem que estão contaminadas ou nunca fizeram o teste. O maior crescimento de casos está entre jovens de 15 anos a 24 anos.

Quando nos deparamos com doenças graves assim, a tendência é buscar a cura e não querer propagá-la. Mas, por incrível que pareça, pessoas de vários lugares do Brasil têm se reunido para espalhar o que chamam de “bareback” – termo em inglês que significa prática de atos sexuais sem a utilização de preservativo. Ou seja, homossexuais, soropositivos ou não, fazem uma espécie de “roleta-russa” – ou contraem ou transmitem o vírus HIV. Por meio da internet, incentivam jovens a saírem com eles e a manterem relações sem proteção, mas, quando os parceiros não aceitam, eles furam o preservativo escondido, pois o objetivo final é transmitir a doença.

Essa situação mostra que quem age assim não quer sofrer sozinho, mas quer que outros sofram também. Por isso, embora as bandeiras da liberdade sexual estejam por aí defendendo que o sexo deve ser feito com qualquer pessoa, que experimentar vários parceiros antes do casamento é fundamental para não se arrepender depois e que o ato sexual é o fator primordial para um casal saber se dará certo junto, é preciso pensar nas consequências dessa “tal liberdade”.

Isso porque da mesma forma que a pessoa pensa que está diversificando parceiros em busca do prazer, ela também está aumentando o risco de ser enganada por alguém que seja adepto da prática do “bareback”. Por esse motivo, ser criterioso na escolha do parceiro e averiguar bem com quem está se relacionando, sem precisar se envolver sexualmente antes do casamento, não é uma atitude exagerada, mas uma necessidade básica. Por mais que digam que deixar o sexo para depois do casamento é algo careta, aqueles que optam por seguir a linha do pensamento livre, além de correr riscos de contrair doenças graves, também acumulam “lixo emocional” a cada término de relacionamento frustrado.

Sendo assim, se você é daqueles que dizem a si mesmos que com você não vai acontecer, fique atento, não se deixe enganar pelas emoções.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: